Pesquisar nesta mnemônica

Translate

Print Friendly Version of this pagePrint Get a PDF version of this webpagePDF

23 de set de 2011

Uma grande série sobre Curitiba 30

Viva às Filipinas e seu transporte de 1º mundo
Por: Coré-Etuba M. da Luz



Bom dia a todos.

Recebi de um colega uma ligação sobre dois acidentes que ocorreram ontem [28/2/11] com bi-articulados no mesmo eixo Capão Razo-Santa Cândida, ambos na Zona Norte. Aproveitei o gancho e mais uma vez expressei minha opinião sobre o que deveria ser feito pra melhorar a rede de transportes em nossa cidade. Mando-lhes minha correspondência com ele, começando pelo que me foi enviado. Na verdade ele dessa vez não escreveu nada, apenas reproduziu o que saiu na imprensa, a Gazeta do Povo no caso. Leiam:

Dois acidentes com biarticulados deixam 8 pessoas feridas
http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1101878


Abaixo externo ainda mais uma vez minha opinião sobre o tema. Como sempre a partir daqui mesmo o que estiver em itálico é de minha autoria.


_____________________________________

Cara, que o padrão de Curitiba vem caindo em todos os setores, da limpeza urbana a segurança pública as enchentes ao transporte coletivo e etc, não é novidade pra ninguém. 

O orgulho precede a queda, essa Lei é inflexível

Tanto que agora foram divulgados os números da violência urbana pelo IBGE. A manchete era: violência aumenta muito no Norte e Nordeste, e se mantém estável ou diminuiu no Sul, Sudeste e Centro-Oeste. 

Porém aqui a violência aumentou como se estivéssemos no Nordeste, de 18ª Curitiba passou a ser a 6ª capital mais violenta - aliás isso só confirmou o que eu venho falando há anos, é que eu detecto as tendências bem antes delas serem incorporadas ao inconsciente coletivo.
Não espero análises de especialistas, eu vou direto à fonte. Se vejo algo ocorrendo, sei que está ocorrendo, não preciso que um engravatado ou uma bela loira num 'tailleur' me diga isso na tela. Aliás mesmo que eles neguem (o que constantemente o fazem) quando sei que está ocorrendo algo se tornam indiferentes às confirmações ou negativas oficiais, foi o que quis dizer.


E os constantes acidentes no transporte refletem essa decadência, que é mais uma vez consequência do orgulho. 

Curitiba acha que não precisa do metrô e nem de trem. 

Já estamos em março de 11 [agora em setembro]. Nem sequer um buraco foi cavado pra iniciar as obras do metrô, o que mostra que nem a Copa nos tirará da inércia, infelizmente. 

Esses dias vi no flicker toda a coleção de fotos de um australiano que desde muito jovem viajou o mundo todo, foi a todos os continentes. Cara, tinha umas 5 mil fotos que ele tirou ao longo das últimas 5 décadas, levei muitos e muitos dias pra ver tudo. O país que mais tinha fotos (tirando sua Austrália natal) era as Filipinas. Ele foi diversas vezes pra lá, mais de uma dezena eu diria pela data das fotos. E não se limitou a programas de turistas, bem ao contrário, conheceu as entranhas do país, suas favelas urbanas e as partes rurais mais remotas.


Enfim, citei tudo isso pra dizer que uma das coisas que mais me chamou a atenção é que ele tirou muitas fotos de uma grande avenida em Manilla nos anos 80, e compara com o mesmo local hoje. O que mudou: nos anos 80 era uma avenida normal, só tenha carros, ônibus, caminhões, etc. E agora: embaixo continua tudo igual, a mesma confusão. Mas no meio surgiu um elevado que abriga uma linha de metrô que corta Manilla de ponta a ponta. Fiquei com inveja. 
Digo, Curitiba estar atrás de São Paulo, Nova Iorque, Los Angeles, Tóquio, Brasília, Maceió, Cidade do Cabo, Tóquio, Amsterdã, Lisboa, Nova Délhi, etc, etc, etc, vá lá.

Agora comer poeira de Manilla? Você já estudou como é a vida em Manilla?
O caos é total, a cidade é extremamente confusa e violenta. É um povo malaio, nada contra os asiáticos, muito pelo contrário, amo a Ásia do fundo de meu coração, agora que Manilla é confusa isso é. Não é um crítica, é uma constatação. Amo o Sudeste Asiático assim como ele é, preferia mil vezes morar em Manilla, uma 'cidade sangue-quente', que em Londres ou Roma e sua frieza física e espiritual. 
A questão aqui é Curitiba, que se orgulha tanto de ser europeia, mas quando era preciso usar um mínimo de planejamento e racionalidade que a Europa tanto se orgulha, os malaios nos ensinam (e não aprendemos) como se faz um transporte de massas eficiente. 
Metrô-Manilla-Filipinas



Em anexo vão as imagens desse metrô elevado que falei, muito parecido com o que há sobre a Avenida Cruzeiro do Sul, na Zona Norte de São Paulo (bem em frente a Rodoviária), e não por acaso, o de SP foi construído poucos anos antes. E também o mapa da rede ferroviária de Manilla. 

Metrô-Manilla-Filipinas

Viva as Filipinas, cuja capital tem transporte de 1º mundo, mesmo o país sendo bem de 3º.


Metrô-Manilla-Filipinas
Aqui em Curitiba, entretanto, coisa está feia. Não só achamos o metrô desnecessário, e arrancamos os trilhos de trem assim que o transporte de cargas é desativado, mas literalmente paramos nos anos 80, no máximo no início dos 90. Dentro do município de Curitiba nos últimos 18 anos só foi inaugurado um único terminal, o Caiuá (Cidade Industrial, Zona Oeste), que é o menor da rede, em 1999. Ou seja desde 1993 não há ampliação de verdade, e nos últimos 12 anos nem mesmo simbólica. Não só a cidade acha que não são necessários trens e metrôs, também julga desnecessários novos terminais. Se recusa a ampliar a rede, mesmo insistindo que a rede é mais eficiente que o metrô. 


Essa negação já se tornou patológica, é hora dos diretores do Ippuc buscarem um bom psiquiatra.


Precisamos urgente de novos terminais, um de tamanho médio no Tatuquara (Zona Sul) pra anteontem. Luciano Ducci foi ao bairro antes da eleição e prometeu: um terminal e um ligeirinho. Não levou dois dias e a Urbs mostrou que a palavra não vale nada nessa cidade. Uma diretora da Urbs, elegantemente vestida com o 'tailleur' que já citei, disse que o terminal não irá sair porque 'não é necessário'. Pois claro, seu sobrenome é Batistella, uma das famílias que comandam esse maldito feudo que é a política por aqui. Pra ela pode ter certeza que o terminal no Tatuquara é mesmo inútil, ela não anda de busão e mora bem longe da Extremidade Sul, então a construção dele (que beneficiaria dezenas de milhares dos que mais precisam) usaria os recursos públicos pro benefício público, e não pro saque de algumas poucas famílias que dividem o poder por aqui desde que a cidade foi fundada.


Ela, entretanto, disse que o ligeirinho sairia, como uma migalha jogada aos cães após o banquete. Nem isso saiu, e já faz quase um ano. E não para por aí. Já que a rede mesmo não se amplia, poderia-se pelo menos aumentar a frota. Que nada. Por aqui só se fala em renovação da frota, e nunca em ampliação. Entram 50 ônibus em circulação. Mas a seguir se vão 50 ônibus velhos. E a frota se mantém há 15 anos ou mais estagnada em 1400 veículos no município e 1900 na RIT, que inclui boa parte da RM. Esses números teriam que ser de 2000 e 2700, até porque muitos desses ônibus são micros. Além de um terminal de médio pra grande (do tamanho do Campo Comprido ou Capão Razo) no Tatuquara, era preciso um terminal pequeno (do tamanho do Boa Vista) na região do Pilarzinho/Vista Alegre. Aliás essa foi outra promessa, dessa vez de Taniguchi. 

Claro que não foi cumprida e ninguém (nem vereador, nem imprensa, nem qualquer órgão da sociedade civil) o interpelou pro isso. Citei só os dois casos mais urgentes, e que foram promessas de prefeitos em campanha, mas era preciso se fazer pelo menos mais uns 5 terminais em Curitiba e RM.


E quando um terminal é inaugurado na Região Metropolitana, o grupo político do Beto se recusa a colocá-lo na RIT. O Guaraituba (Colombo, Zona Norte) ficou 2 anos fechado, e só entrou no sistema porque o ministério público federal exigiu, já que foi feito com dinheiro da União. O Roça Grande, no mesmo município, é ainda pior. Ficou 3 anos e meio fechado, e só abriu também por ordens judiciais. Só que o mentiroso que se elegeu governador se recusa a integrá-lo à rede. Assim o terminal está operando, mas inútil na prática. Beto mentiu novamente. Disse que integraria o Roça Grande se o governo do estado reformasse o Cabral. Assim foi feito. A esfera estadual arcou com a obra, $ 6 milhões. Mas a linha pro Roça Grande não foi implantada. Veja que ele agora controla as duas esferas, ou seja, poderia integrar o Roça Grande sem beneficar politicamente algum adversário seu. Não tem jeito, é mentiroso compulsivo. Isso se chama rapinagem ao erário. E ninguém faz nada.


Assim fica fácil mentir. Não há consequências. Se um político fizesse isso em Salvador, Porto Alegre ou São Paulo a reação seria bem distinta. Seria cobrado asperamente por ter mentido. E isso comprometeria sua re-eleição. Aqui não. Quanto mais o cara mente, mais votos obtém, como comprova aquele que quebrou sua palavra e abandonou a prefeitura com um ano e 3 meses de mandato, e ainda foi eleito governador no 1º turno. Quanto mais mente, mais o povo paranaense o ama. Triste isso.

E dou a prova definitiva: há um sítio sobre o inexistente metrô curitibano, como já viu. Mas a farsa é tão forte que vale a pena re-enviar a ligação.


Metrô Curitibano
http://www.metro.curitiba.pr.gov.br/


Metrô Curitibano:
deve ser Piada!?

Viu que na montagem o trem já se dirige a Estação CIC Sul? Seria cômico se não fosse trágico.


Escrevo tudo isso não pra achincalhar simplesmente, ao contrário, é exatamente porque amo Curitiba. E quero que um dia nós curitibanos possamos ir do CIC a Tamandaré de metrô e trem, e não nesses bi-articulados que só parecem a oitava maravilha do mundo a quem não os utiliza. Digo, são uma boa ideia. Mas precisam ser um sistema auxiliar do modal ferroviário, e não o tronco do sistema. Um metrô ou trem pra puxar o grosso do tráfego (CIC-Centro e Tamandaré-Centro) e por cima um ônibus com canaletas exclusivas pras viagens menores, tipo CIC-Portão e Tamandaré-Barreirinha.

Em Brasília está sendo feito algo ainda mais avançado que isso. Há uma linha de metrô que liga o Centro ao que seria a Zona Oeste do Distro Federal, onde estão suas maiores cidades-satélites, Ceilândia, Samambaia, Taguatinga, entre outras. E tudo isso via Asa Sul, que é o polo de empregos da cidade, tipo a Água Verde deles. O metrô já está pronto, operando e sendo ampliado pra Asa Norte. 


Metrô-DF
Pois bem. Por sobre ele está sendo feito uma linha de bonde moderno, será a primeira cidade da América Latina a ter esse meio de transporte. E exatamente pelo mesmo trajeto do metrô, repito, duplicando-o na Região Central (Asa Sul-Centro, com extensão ao Aeroporto). Assim o metrô subterrâneo, em que as composições e a distância entre as estações são maiores, cuida do grosso do fluxo (Samambaia-Centro ou Ceilândia-Asa Sul, por exemplo) enquanto pequenas viagens na área de classe média, dentro da Asa Sul ou dela até o Centro, serão pelo bonde, desafogando o metrô e o liberando pra galera mais pobre que vem de longe. Veja o mapa que anexo.

Já havia escrito tudo isso, mas me repetirei até que nossa cidade saia de desse coma consciencial e resolva alterar o status quo que está excelente pruma quadrilha e péssimo pra maioria.

Esse é meu compromisso e assim eternamente será.


Deus o ilumine pra todo sempre, irmão.
“Deus proverá”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARE, PENSE, TOQUE E, SE NECESSÁRIO, COMENTE!
Obs: Haverá MODERAÇÃO do seu comentário!