Pesquisar nesta mnemônica

Translate

Print Friendly Version of this pagePrint Get a PDF version of this webpagePDF

20 de out de 2011

Se depender do SUS...

Hoje fui tranquilamente até a Unidade de Saúde mais perto de minha casa para ser atendido por causa de uma situação até então simples -- não sou especialista para afirmar.


Estou com um problema no ouvido esquerdo há uma semana e meia, o que tem reduzido minha audição em certas situações.


Mas esse não é o problema -- ainda.


Eu iria deixar pra lá esse negócio de ir ao médico, pois nós homens temos a tendência (infeliz) de irmos somente quando estamos em estado periclitante. Todavia, após ser convencido e instado por minha namorada a ir ao médico; lá fui eu...


Fui atendido até que prontamente na recepção; acabei deparando-me com uma antiga professora da escola primária, de quem muitas lágrimas fizemos correr quando a turma a atazanava nas suas tentativas de ministrar aula -- coitada.
Talvez esse encontro fosse o prenúncio de que um dia o mundo gira e que eu iria pagar o que fizemos a ela. Acho que aquele sorriso amarelo queria dizer alguma coisa para mim hoje!
Eu fui escolhido o bode-expiatório dos quase 40 alunos! 



A antiga professora, agora agente de saúde, me entregou um protocolo de consulta com um clínico geral. No primeiro instante pensei que iria pegar esse papel esperar alguns minutos (ou horas) e ser atendido e em seguida ele me enviaria ao especialista otorrino.


Afinal, segundo consta nos anais -- não no meu; sim, incluindo o duplo sentido -- vivemos num país cuja saúde é de caráter Público, é universal, é direito social (art. 6° da Constituição), é dever do Estado (art. 196) e tem como diretriz o atendimento integral, com prioridade na prevenção (art 198, II).


Isto quer dizer que se eu estiver em qualquer dos 5.564 municípios do Brasil eu poderei e deverei ser atendido pelo SUS.


É o oposto ao que ocorre nos EUA, cuja mudança o Obama suscitou implementar e foi cerceado na sua tentativa de universalização da saúde tendo em vista os lobby's dos planos de saúde que por decorrência da mudança perderiam um caminhão de dinheiro.
Lá quem não tem plano de saúde está fadado a se tratar em casa, ou vai ter que rezar muito ou esperar o Congresso aprovar os projetos de universalização da saúde pleiteados por Obama (vale a pena ver o documentário Sicko - SOS saúde do diretor Michael Moore). 


E o que de importante tem tudo isso?


Importa pois que somente eu pensei que seria atendido prontamente.


Bom, segundo consta na cartilha, somos e temos todos aqueles direitos que anteriormente disse acima e nos vangloriamos de termos um SUS que atende as pessoas "rapidamente" -- isso na realidade é mais os políticos que acabam dizendo na época da eleição, haja vista que usam os planos de saúde que nós imbecis pagamos.


Às favas com essas propagações!


Sabem quando eu serei atendido?
DIA 07 DE DEZEMBRO DE 2011.

Isso mesmo, 50 dias à espera do pronto atendimento do integral e preventivo SUS.


Acabo de morrer pelos 40 alunos bagunceiros, pois sinto o cheiro do bode (eu) sendo expiado, como que uma vingança da professorinha mal-amada na sala de aula.
Sabia que aquele sorriso estava me dizendo algo!


Mando a imagem do protocolo para que saibam que não estou mentindo.


Quem lê pode pensar que estou sendo pretensioso em querer ser atendido rapidamente, afinal todos conhecemos velhinhos e crianças em situação pior que esperaram muito mais tempo na fila....


É claro que conheço e inclusive lamento, choro, ranjo os dentes quando sei que existem centenas e milhares de pessoas no Brasil que morrem porque tiveram de esperar horas, dias e meses na fila do SUS; haja vista não terem condições financeiras de arcar com um plano de saúde.


Se realmente o SUS fosse tão bom, porque haveria necessidade de planos de saúde, porque haveria pessoas que prefeririam tê-lo a contar com o SUS, ou melhor, porque os políticos não usariam para eles, para seus filhos, para suas mulheres, para suas amantes....???


Porque lógico, eles sabem que o SUS é péssimo.


Claro, não devo afastar  que em certos setores o sistema público está adiantado, como o setor de nefrologia e transplantes. Mas isso é uma fagulha em relação ao que a Constituição e a grana (tributos) que damos anualmente para fazer esse sistema Público de Saúde de última geração -- se a corrupção não o desviasse.


Ressalto que não é pretensão a minha querer um atendimento célere e eficaz, sei que tem gente em pior e muito pior situação que a minha e que nesse exato momento se encontra em um leito desvalido e desamparado pelos hospitais do nosso Brasil. 
Porém não devo me calar e sim pleitear um direito que é de todos, nós o quisemos assim: universal/integral.


Isso serve para uma pequena amostragem do que a corrupção e as picaretagens dos políticos acaba desencadeando na vida das pessoas -- e não estou pensando só em mim como bem reforcei.


Portanto, se for depender do SUS eu vou é ficar Surdo.





Meu ouvido que espere, disse o SUS


Unidade de Saúde Ouvidor Pardinho-Curitiba 









Vejam:
a) Saiba mais sobre a reforma de saúde nos EUA
b) Câmara dos EUA vota revogação da reforma da saúde nesta quarta-feira
c) Juiz declara inconstitucional parte da reforma de Obama

Um comentário:

PARE, PENSE, TOQUE E, SE NECESSÁRIO, COMENTE!
Obs: Haverá MODERAÇÃO do seu comentário!