Pesquisar nesta mnemônica

Translate

Print Friendly Version of this pagePrint Get a PDF version of this webpagePDF

3 de fev de 2012

Uma grande série sobre Curitiba 42


Curitiba: agressões de todos os tipos aos Rios


Por: Coré-Etuba M. da Luz
[03/12/11] 

Bom dia.
Covardia com os Rios de Curitiba
As imagens falam tudo.
É uma indústria química aqui do Boqueirão (Zona Sul) despejando seus dejetos sem qualquer filtro no córrego da Rua Coronel Luís José dos Santos, pouco antes de sua foz no Belém.
Covardia com os Rios de Curitiba

Perto dali, já nesse último Rio, observem que até móveis são descartados sem piedade em suas águas. 

No micro e no macro, em Curitiba se pratica toda sorte de barbaridades contra os Rios. Isso que a Água é o Sangue da Mãe-Terra. Pobre humanidade. Renegando assim sua Grande-Mãe, qual futuro espera pra si?
Responda quem puder.....
.............

[...]
Até móveis no Rio Belém
Voltemos às imagens. Vejam no detalhe como a água muda de cor bruscamente após essa covarde agressão do ser humano, que deveria ser o protetor da Natureza, mas é seu arqui-inimigo.

E assim, bicolor, à guisa de um macabro encontro entre os Rios Negro e Solimões, o Rio corre até a foz, silencioso, resignado com a estupidez humana, pedindo ao Pai-Mãe que perdoe a nós, humanos, porque 'eles não sabem o que fazem'.

À guisa de Rio Negro e Solimões
..................

Que Deus ilumine a todos.

No rumo que as coisas estão indo, vamos precisar, e muito.




Deus proverá”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARE, PENSE, TOQUE E, SE NECESSÁRIO, COMENTE!
Obs: Haverá MODERAÇÃO do seu comentário!